quinta-feira, 16 de outubro de 2008

"MITCO"

Movimento Integrado de Terapia COmunitária
de Nova Friburgo

Alusão a palavra "Mítico", que é da natureza dos mitos, fabuloso, fantástico. Do latim mythicu, do grego mythikós. Tradição que, sob a forma de alegoria, simboliza um facto natural, histórico ou filosófico; construção pura do espírito. "Um mito é uma narrativa tradicional com caráter explicativo e/ou simbólico, profundamente relacionado com uma dada cultura e/ou religião. O mito procura explicar os principais acontecimentos da vida (...). Pode-se dizer que o mito é uma primeira tentativa de explicar a realidade. (...) Ao mito está associado o rito. O rito é o modo de se pôr em ação o mito na vida do Homem ".

Fazendo uma ponte com a Terapia Comunitária, a mesma é definida como "(...) um instrumento que nos permite construir redes sociais solidárias de promoção da vida e mobilizar os recursos e as competências dos indivíduos, das famílias e das comunidades. Procura suscitar a dimensão terapêutica do próprio grupo valorizando a herança cultural dos nossos antepassados indígenas, africanos, europeus e orientais, bem como o saber produzido pela experiência de vida de cada um". (Adalberto Barreto)

Nesse "sentido emprestado", não desejo pensar o conceito do termo mito, ou mítico, de modo pejorativo, já que este, por definição é usado assim quando se refere a crenças comuns, mas aludir a carga simbólica que há na fala emprestada daquele que a utiliza para trazer a sua história. Refiro-me, com essa idéia, aos relatos e histórias, sobretudo, das culturas antigas que foram, em grupo, contadas por seus antepassados milhares e milhares de vezes e que, organizados, constituem a sua história, sua mitologia.

No grupo de Terapia Comunitária, se valoriza essa história que é contada a partir das experiências de vida de cada um, se resgata essa identidade cultural, espiritual e sagrada do humano (e não dos Deuses).

Grato
Marcelo P. Abdala Costa

Um comentário:

maga disse...

Muito bacana! Acho que este fio de histórias e ações que você começa a puxar vai abrindo brechas para a entrada de novos ares! Para a construção de novos significados!
Eu daqui, de Santos, recebendo ares marinhos, vou ficar torcendo para que essas brechas sejam sempre possíveis.
Magali
Psicóloga e Terapeuta Comunitária